Diretor da Globo teria protegido atores brancos e exposto negros à contaminação por Covid-19

Roberta Rodrigues sofreu retaliação por “rebeldia” ao denunciar racismo na Globo (Foto: Reprodução)

As polêmicas em torno da situação dos bastidores de Nos Tempos do Imperador parecem ter se intensificado. A colunista Carla Bittencourt, do Notícias da TV, revelou novas acusações sobre o caso.

Veja também – Provas mostram que Globo montou arsenal para abafar escândalo de racismo em novela

Conforme tem sido repercutido, existia um clã liderado por Vinicius Coimbra, responsável por ancorar os trabalhos da novela, em que cumpria as ordens para segregar racialmente o elenco, desde a organização de camarins até a rotina de gravações.

O núcleo da Pequena África era o mais impactado, com os atores chamados em tom pejorativo de pretos ou negros. Ainda segundo a matéria do NTV, Cinnara Leal, Dani Ornellas e Roberta Rodrigues receberam atenção da Globo depois da direção geral ter sido procurada.

No último dia 15 de fevereiro, depois de um longo período de insistências para que fossem tomadas providências necessárias sobre o racismo, a Globo decidiu responder com o afastamento de Coimbra da próxima novela das seis.

Atrizes se uniram para denunciarem racismo em Nos Tempos do Imperador (Foto: Divulgação)

Apesar da postura, da prova das três atrizes e de pessoas envolvidas que percebiam os acontecimentos, o diretor foi apenas retirado dos holofotes. Nem ele, nem tampouco a equipe que compactuava com as atitudes racistas foram demitidos.

Veja também – Entenda como novela das seis quase esteve na mira de um processo movido pela TV coreana

Uma das fontes da reportagem contaram uma das situações: “Em um dado momento, Vinicius gritou no estúdio: ‘O elenco vem comigo, os pretos ficam’. Na frente de várias pessoas. Quando alguns artistas pretos foram questioná-lo sobre essas falas, ele reagiu dizendo: ‘Vocês deveriam agradecer de estarem aqui”.

A denúncia que mais pesou na decisão de afastar Vinicius Coimbra teria sido a escala de gravações. O “elenco negro”, como ele e sua equipe se referia aos atores separando-os pela cor, gravou cenas no auge da pandemia e primeiro que os demais, expondo-os a um risco maior de contaminação.

Mariana Ximenes e Vinicius Coimbra durante gravação de Nos Tempos do Imperador (Foto: Divulgação)

Enquanto isto, os brancos do elenco não tiveram pressa na volta para as gravações e o diretor esperou o pico de contaminação baixar para que eles pudessem retomar a rodagem de cenas. A atriz Mariana Ximenes percebeu a segregação nos bastidores da novela e procurou a direção para tomar providências.

Ricardo Waddington, diretor de Entretenimento, e José Luiz Villamarim, diretor de Dramaturgia, mantiveram silêncio. Tanto é que, diferentemente de Vinicius Coimbra e apesar dos indícios de compactuarem com o racismo, sequer foram afastados até o momento.

Veja também – Confira cinco novelas brasileiras que foram interrompidas às pressas

A atriz Roberta Rodrigues foi retirada da novela na época em que resolveu denunciar o racismo. A Globo justificou afirmando que ela estava com Covid-19. Porém, a própria Roberta veio a público desmentir a informação da emissora, que continua mantendo silêncio sobre o assunto grave.

Em meio ao silêncio, segundo o Metrópoles, parceiro do Resumo das Novelas On, a emissora carioca vem apurando o caso e convocando o elenco da novela para prestar depoimentos. Isto porque, o assunto tem sido exposto e saído do controle do “abafamento” dado por eles.

Siga o Resumo das Novelas On nas redes sociais:

@resumodasnovelason

@resumodasnovelas.online

@resumonovelason

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.