Orgulho e Paixão: Josephine arma para tirar a guarda do filho de Cecília e se dá mal

Orgulho e Paixão: Josephine arma para tirar a guarda do filho de Cecília e se dá mal

Cecília e Rômulo com bebê no colo, em Orgulho e Paixão (Foto: Estevam Avellar/ Globo/ Divulgação)
Cecília e Rômulo com bebê no colo, em Orgulho e Paixão (Foto: Estevam Avellar/ Globo/ Divulgação)

Nos próximos capítulos do folhetim escrito por Marcos Bernstein, Orgulho e Paixão, Josephine (Christine Fernandes) tentará se vingar da nora.

Tudo acontecerá quando Cecília (Anaju Dorigon) e Rômulo (Marcos Pitombo) adotarem um bebê nos últimos capítulos da trama da faixa das seis da Rede Globo.

+Segundo Sol: Selma convida Ionan e Doralice para almoçar em casa e Maura se irrita

Inconformada, Josephine fará uma denúncia anônima e dirá que o casal está com a criança ilegalmente e dirá ainda que Cecília não tem condições mentais de cuidar do bebê.

O garoto chegará a ser levado para o orfanato, mas o casal conseguirá a guarda legal do filho, que será batizado como Mario, em homenagem à Mariana (Chandelly Braz).

+Jesuíta Barbosa é confirmado em próxima novela da Globo, Verão 90

A reviravolta acontecerá uma testemunha revelar que viu quando a mãe biológica do bebê morreu ao dar à luz, e como não tinha nenhum parente, decidiu deixar a criança na porta do casal, já que sabia que eles estavam tentando ter um filho.

A notícia deixará Ofélia (Vera Holtz) e Felisberto (Tato Gabus Mendes) felizes da vida e Cecília e Rômulo terão um final feliz ao aumentar a família.

Cecília e Rômulo com bebê no colo, em Orgulho e Paixão (Foto: Estevam Avellar/ Globo/ Divulgação)
Cecília e Rômulo com bebê no colo, em Orgulho e Paixão (Foto: Estevam Avellar/ Globo/ Divulgação)

Siga o Resumo das Novelas On nas redes sociais:

@resumodasnovelason

@resumodasnovelas.online

@resumonovelason

Um comentário em “Orgulho e Paixão: Josephine arma para tirar a guarda do filho de Cecília e se dá mal

  • 13/09/2018 - 19:34 em 19:34
    Permalink

    Meu Deus, depois de muito tempo, rever a Natália do Vale, e um colírio para os olhos e um deleite para o coração como ainda está representado bem.
    Parabéns a Globo, por fazer no recordar esses monstros sagrados da dramaturgia.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *