Brisa não é mãe de Tonho? Conheça o caso real que vai inspirar o drama da protagonista em Travessia

(Foto: reprodução)

Em Travessia, Brisa (Lucy Alves) sofrerá um verdadeiro baque em meio a guerra pela guarda de Tonho (Vicente Alvite), ao realizar um exame de DNA que atestará que ela não é mãe do garoto, o que a fará perder a guarda dele para Ari (Chay Suede).

Tudo começará quando Núbia (Drica Moraes) espalhar fofocas maldosas a respeito da protagonista, acusando-a de ter traído Ari com Oto (Romulo Estrela) e levantando a hipótese de Tonho não ser filho do arquiteto. Ofendida com a situação, a própria lavadeira vai sugerir um teste de DNA, que mostrará que ela não é mãe do garoto.

Isso, no entanto, acontecerá porque a protagonista tem uma condição genética rara, chamada Quimerismo, que consiste em sequências de DNA diferentes dentro do seu corpo, o que faz com que o exame mostre que o garoto é filho apenas de Ari, que assim conquistará a sua guarda.

Para provar que é mãe de Tonho, Brisa decidirá ir atrás das lavadeiras que testemunharam o seu parto, mesmo sendo julgada por outros populares. A protagonista, no entanto, ganhará o apoio de Dante (Marcos Caruso), que vai se interessar pelo seu caso e tentar comprovar a sua versão através da ciência.

Inspirado em história real

A autora Glória Perez é conhecida por se inspirar em casos reais e usar temas contemporâneo e ligados à ciência para suas novelas, e o drama enfrentado por Brisa em relação à maternidade de Tonho será mais um desses casos.

A novelista se inspirou na história do documentário Chimera: The Twin Inside Me (Quimera: O Gêmeo Dentro de Mim, em tradução livre), que acompanha o caso raro da americana Lydia Fairchild. Em 2002, a mulher se candidatou para participar de um programa de assistência do governo do estado de Washington, nos Estados Unidos, e parte da burocracia exigia que ela fizesse um exame de DNA, juntamente com ex-seu marido, Jamie Townsend, e os dois filhos.

Porém, os exames apontaram que Jamie era o pai das crianças, mas que Lydia não era a mãe deles. Com isso, ela chegou a virar suspeita de ter sequestrado as crianças e fraudar a previdência. A mulher só não perdeu a guarda dos filhos porque o seu advogado conseguiu encontrar um caso semelhante para provar que se tratava de uma condição genética rara.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.