Assassinato de Daniella Perez: Após 30 anos, saiba por que a Globo não pode falar sobre o crime

Caso Daniella Perez completa 30 anos (Foto: Divulgação)

Em 2022, completam-se exatos 30 anos de um dos episódios mais dramáticos do mundo artístico brasileiro. A atriz Daniella Perez foi morta por um colega de cena, enquanto eles estavam no ar na novela das nove De Corpo e Alma.

Veja também – Gloria Perez fala abertamente pela primeira vez sobre o assassinato da filha: Saiba quanto tempo durou a gravação

Guilherme de Pádua teria se sentido desprestigiado e culpava a colega pelo que ele estava passando. O mais delicado neste caso era que a vítima tratava-se da filha da autora da novela, Gloria Perez. O crime chocou o país, que acompanhava a frieza dos assassinos.

Afinal, o colega de cena de Daniella não estava sozinho e contou com a ajuda de sua ex-cônjuge, Paula Tomaz. Apesar do que fizeram, ambos receberam quase 20 anos de condenação, porém conseguiram a liberdade em 1999.

De lá para cá, Pádua administra uma igreja e discursa sobre redenção, enquanto Tomaz tem uma vida comum. Como tudo aconteceu com um folhetim da Globo, era de se esperar que qualquer obra audiovisual que visasse retratar o caso fosse feita pela emissora carioca.

Guilherme de Pádua e Daniella Perez (Foto: Divulgação)

No entanto, será a HBO Max que ficou responsável pela série documental Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez. Será a primeira vez, em três décadas, que Gloria Perez falará sobre uma das maiores dores já vividas pela autora.

Veja também – Roberto Carlos depõe sobre assassinato de Daniella Perez: Saiba as vezes que ele provou ser amigo de Gloria Perez

Imediatamente, há uma enxurrada de questionamentos querendo entender o motivo para que a Globo não tenha ficado responsável pela série. De acordo com informações da Veja, o impasse teria ocorrido porque a emissora carioca não aceitou fazer este projeto sem que fossem ouvidos os assassinos.

Daniella Perez e Gloria Perez (Foto: Divulgação)

Gloria Perez, então, teria se recusado a autorizar a Globo tocar o projeto, que foi acatado pela HBO e será lançado no próximo dia 21 de julho. Com cinco episódios, a produção terá depoimentos exclusivos de juristas envolvidos no caso, além de amigos e colegas de trabalho de Daniella.

Veja também – Ferida reaberta: Saiba o por que Gloria Perez resolveu falar pela primeira vez sobre o assassinato da filha

O depoimento inédito de Raul Gazolla, viúvo de Daniella Perez, é um dos mais esperados, já que ele abrirá o coração sobre o assunto. Tatiana Issa é a idealizadora da série, além de também ser a diretora ao lado de Gustavo Nasr.

Siga o Resumo das Novelas On nas redes sociais:

@resumodasnovelason

@resumodasnovelas.online

@resumonovelason

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.