Mulheres Apaixonadas está de volta: Quatro fatos que ninguém te contou sobre a novela

Logo de Mulheres Apaixonadas (Foto: Reprodução)

A Globo fez uma escolha que muita gente não esperava para substituir A Favorita. A partir de novembro, o Vale a Pena Ver de Novo passa a exibir Mulheres Apaixonadas, um clássico de Manoel Carlos.

Veja também – Novela da Globo tentou unir dois grandes autores e criou intriga histórica

Exibida originalmente em 2003, a novela marcou gerações e é lembrada até hoje principalmente pela quantidade de debates sociais provocados. Mais de dez anos depois, ainda é considerado um folhetim atual e necessário.

Discussões como o alcoolismo, etarismo, homossexualidade, precariedade da segurança pública, violência contra idosos e dentre outras estiveram presentes em Mulheres Apaixonadas. Mas a novela entregou outras pérolas pouco conhecidas, como algumas que citaremos a seguir:

Abertura repetida

Um elemento muito emblemático de Mulheres Apaixonadas era a abertura. Para quem não se lembra, o vídeo de introdução contava com um slide em que continham fotos enviadas por telespectadoras.

Veja também – Saiba qual novela passou por um vexame tão grande que a Globo apagou as fitas do arquivo

No entanto, não era apenas isto que era repetido na abertura. A música-tema da novela já foi utilizada anteriormente em outro folhetim que pouca gente deve lembrar. A primeira versão de Dona Xepa (1977) também tinha Pela Luz dos Olhos Teus, de Tom Jobim e Miúcha, como trilha do casal da novela.

Manoel Carlos é um dos maiores autores de novelas (Foto: Reprodução)

Jornal ou novela?

Novelas contemporâneas são mais comuns do que se imagina. Porém, no caso específico de Mulheres Apaixonadas, Manoel Carlos trouxe uma inovação que ninguém esperava. Ao final dos capítulos, existiam narrações do elenco.

Veja também – Saiba qual segredo da Globo fez com que atriz desistisse de carreira: “Me tirou o prazer de atuar”

Estes diálogos contextualizavam fatos da novela com notícias do dia. Era como se a novela fosse uma espécie de jornal. Este elemento raríssimo chamou atenção e, caso permaneça na versão exibida pela edição feita para o VPVN, deve matar as saudades.

A galinha dos ovos de ouro

Quando se fala em investimento que deu certo, estamos falando da Globo produzindo suas novelas. Basta equiparar o quanto foi empregado pela emissora carioca com a quantidade de lucros.

Veja também – Na cadeira de rodas até hoje: Relembre o assalto que mudou a vida de ex-galã global

Mulheres Apaixonadas teria custado um total de R$ 40 milhões de reais para ser produzida, segundo matéria do Folha de S. Paulo da época. Por outro lado, o setor comercial da Globo faturava em torno de R$ 412 mil reais por capítulo, fora a quantidade de produtos licenciados com a marca da novela. No total, Mulheres Apaixonadas durou 203 capítulos.

Após aprontar novamente, Dóris leva surra de Carlão em Mulheres Apaixonadas (Foto: Reprodução)
Cena emblemática da surra que Carlão dá em Dóris (Foto: Reprodução)

Revertendo fiasco

Infelizmente, a Globo não teve a sorte de emendar o fenômeno de O Clone com Mulheres Apaixonadas. Entre ambas as novelas das nove (na época, conhecida como novela das oito), foi ao ar Esperança.

Veja também – Saiba quem é o global acusado de assediar cerca de 30 atrizes nos bastidores das novelas

Quase ninguém lembra de sua existência, que fez derrubar boa parte dos índices alcançados por Gloria Perez. A missão da emissora carioca com Mulheres Apaixonadas era uma só: reverter a situação deficitária de audiência deixada por Benedito Ruy Barbosa.

Siga o Resumo das Novelas On nas redes sociais:

@resumodasnovelason

@resumodasnovelas.online

@resumonovelason

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.