Longe das novelas há mais de 15 anos, Lucélia Santos sofre preconceito por ser esquerdista: “Sou perseguida”

Lucélia Santos e Edwin Luisi estrelavam Escrava Isaura na Globo (Foto: Divulgação)

A intolerância é um dos males que afetam a sociedade brasileira atualmente. Infelizmente, tem ficado acentuada desde a eleição presidencial de 2018, por se tratar de um grupo político responsável por flertar com o radicalismo e falta de diálogo com as diferenças.

Veja também – Na cadeira de rodas até hoje: Relembre o assalto que mudou a vida de ex-galã global

Mas, antes desta ocasião do atual governante do país, imperava um outro governo que esteve por muitos anos no poder e predominou as discussões políticas, fazendo algo semelhante ao radicalismo adotado pelo atual grupo extremista.

A diferença foi que, antes, não existiam a transformações de fake news em fatos, como forma de eleger alguém. Os debates não existiram desta vez e a exposição de ideias se limitou a internet, que foi o palanque governamental até então.

Bolsonaro, o atual presidente do país, ao lado de Regina Duarte (Foto: Divulgação)

Há exatamente 16 anos sem receber convites para uma novela, a atriz Lucélia Santos declarou em entrevista a uma TV portuguesa que sofre preconceito por se posicionar enquanto esquerdista. Sua última atuação foi em Cidadão Brasileiro (2006).

Veja também – Mau cheiro: Atriz detona José de Abreu e revela hálito insuportável do ator

De lá para cá, Lucélia teve de se contentar com participações pontuais em séries. No ano de 2019, recebeu a oportunidade de voltar para as novelas, mas em solos lusitanos. Por aqui, as portas continuam fechadas.

José Wilker e Lucélia Santos protagonizavam Carmem, novela de 1987 (Foto: Divulgação)

Aos 64 anos, a atriz não escondeu seu descontentamento pela situação atual do país e revelou o que sofre por conta de seu posicionamento. “Sou perseguida por isso há muito anos. Eu sempre tive uma posição de esquerda, assumidamente. Sempre tive do lado dos trabalhadores e das populações mais afetadas”, contou.

Veja também – Bonzinhos demais? Veja quais novelas em que (curiosamente) não existiam vilões

Esse lugar de fala não encontrado nas mídias brasileiras, no entanto, são o oposto do que acontece com Lucélia nas redes sociais. Bastante ativa principalmente no Twitter, costuma comentar as notícias políticas.

Vereda Tropical (1984) teve Lucélia Santos em papel principal (Foto: Divulgação/Memória Globo)

Em certa ocasião, a atriz incentivou que existisse um boicote como forma da população contrariar as posturas controversas do atual presidente quanto ao meio ambiente. “Acho que vocês podem nos ajudar. Tem que boicotar todos os que querem destruir a floresta: as empresas, os produtos. Não comprar mais. Isso é uma forma séria de dar um basta”, militou Lucélia Santos.

Veja também – Saiba seis atores das novelas que foram forçados a saírem do armário e se assumirem gays

Vale lembrar que foi Lucélia a responsável por protagonizar um dos primeiros sucessos de novelas brasileiras exportadas no mundo. Escrava Isaura (1976) certamente foi seu papel mais marcante em sua carreira. Infelizmente, apesar disso, não foi impedimento para que ela ficasse tanto tempo longe dos holofotes em uma situação de intolerância política.

Siga o Resumo das Novelas On nas redes sociais:

@resumodasnovelason

@resumodasnovelas.online

@resumonovelason

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.