Ismênia vê Deodora escondendo remédio que usou para dopar Tertúlio, vira testemunha de crime e espera hora certa para desmascará-la

(Foto: Reprodução)

Em Mar do Sertão, Deodora (Debora Bloch) tentará arruinar a vida de Candoca (Isadora Cruz) de uma vez por todas. Inescrupulosa, a vilã chegará a usar a saúde fragilizada do próprio marido, Tertúlio (José de Abreu), para atingir a protagonista.

Tudo começa quando Tertúlio é baleado acidentalmente e fica entre a vida e a morte. Acontece que Pajeú (Caio Blat) vai até a casa do coronel para atentar contra sua vida, depois de descobrir que a população da cidade está ficando doente devido ao uso de agrotóxicos na fazenda do vilão. Vespertino (Thardelly Lima), no entanto, tira o revólver do jagunço, e quando o coronel tenta apanhar a arma, ela acaba disparando contra ele.

Tertúlio é levado até a médica, que faz uma cirurgia delicada para reverter a situação. Assim, o vilão conseguirá se salvar, mas acabará sendo vítima de um plano cruel de Deodora, que verá uma oportunidade para prejudicar Candoca.

A vilã anuncia que cuidará de Tertúlio sozinha, enquanto Tertulinho (Renato Góes) ficará distante, empenhado em se vingar de José (Sérgio Guizé) e encontrar Vespertino, que se torna suspeito de atentar contra a vida do coronel de propósito.

Ismênia descobre plano cruel de Deodora

A ideia de Deodora é dar altas doses de calmante para o marido, a fim de agravar o seu estado de saúde e colocar a culpa em Candoca. Porém, a médica, ao examinar o vilão, ficará desconfiada e vai investigar a fundo o que aconteceu. A megera não se dará por satisfeita e aumentará ainda mais as doses de calmante, deixando Tertúlio dopado.

Veja também: resumo dos próximos capítulos de Mar do Sertão

O plano da vilã, no entanto, estará ameaçado, já que Ismênia verá a patroa escondendo o medicamento e ficará desconfiada. A princípio, a empregada decide não contar nada, mas com o fim próximo do coronel, ela pode expor tudo para Candoca e desmascarar Deodora.

Vale destacar que o folhetim é escrito por Mário Teixeira, sob a direção geral de Pedro Brenelli e direção artística de Allan Fiterman.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.