Impactante, Verdades Secretas 2 teve debate sobre apelação para cenas quentes e cortes na Globo: “Lei é lei”

Cena de Verdades Secretas 2. (Foto: Reprodução)

A versão original de Verdades Secretas já havia impactado boa parte do público e dado o que falar na TV aberta ao promover diversas cenas para lá de ousadas, com muita nudez dos atores. E em sua continuação, a novela escrita por Walcyr Carrasco impactou ainda mais os telespectadores, chegando a gerar debates sobre o seu conteúdo.

Isso porque parte do público e da crítica detonou a trama justamente por investir demais em cenas quentes para “chocar” ou “apelar” para audiência e pouco desenvolver a sua história, em uma estratégia semelhante a alguns filmes eróticos, como Cinquenta Tons de Cinza e 365 Dias, que apesar de terem atraído um bom público, foram massacrados pela crítica especializada.

Por conta disso, Verdades Secretas 2 já havia causado impacto em sua estreia no Globoplay, mas para ser lançado na TV aberta, o folhetim estrelado por Camila Queiroz precisou sofrer com vários cortes dessas cenas mais ousadas, e com a promessa de que nessa reedição, daria mais foco à história em si, mesmo que a classificação indicativa permaneça para maiores de 18 anos.

Em entrevista ao jornal O Globo, Agatha Moreira revelou que a continuação da trama já havia sido gravada pensando nas versões para a plataforma de streaming e para a TV aberta. “Bastante coisa a gente gravou em dobro por conta disso, para fazer duas versões. E também sabíamos que haveria cortes”, disse a atriz, que dá vida à personagem Giovanna.

Veja também – Verdades Secretas 2 tem boicote à protagonista demitida da novela antes do final: “Não foi fácil”

“Eu acho que a gente tem algumas leis na TV aberta que são superintendentes [sobre classificação indicativa] e que temos que respeitar. Não é uma questão de o público gostar ou não. Lei é lei. Temos que ficar dentro do que é legal”, completou a estrela, que também protagoniza diversas cenas quentes na novela.

Agatha ainda falou sobre as críticas que o folhetim sofreu em virtude do excesso de cenas de sexo, e saiu em defesa da produção. “Não sinto que fiz nada que fosse gratuito. Cada cena estava incluída na minha dramaturgia, na curva da personagem. É como ela é, uma personagem intensa, que choca”, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.