Globo se livra de processo por conta de O Astro: confira quais foram as novelas mais problemáticas

Rodrigo Lombardi em O Astro (Foto: Divulgação)

Os filhos de Janete Clair, autora de O Astro que ganhou remake em 2011, foram para a Justiça processar a Globo por conta dos direitos autorais da obra. Guilherme, Denise e Alfredo Dias Gomes, herdeiros da autora, tinham um acordo com a emissora carioca em que, a cada três meses, deveriam ser avisados sobre o destino das obras de sua mãe.

Veja também – Vale a pena relembrar: os cinco maiores sucessos de audiência da história do Vale a Pena Ver de Novo

Entretanto, eles entenderam que a Globo descumpriu o acordo quando esteve lucrando com O Astro e não os informou sobre o paradeiro do remake, com vendas internacionais e licenciamentos. As informações são do colunista Gabriel Vaquer, que adiantou um acordo entre as partes, apaziguando a guerra.

A partir de agora, a Globo se comprometeu em avisar melhor sobre o paradeiro das obras de Janete Clair, bem como, irá disponibilizar 5% dos valores correspondentes aos direitos de todas as novelas da autora que chegarem a ser exibidas. Assim como este caso, há outras novelas que também deram dores de cabeça pela quantidade de problemas. Confira o ranking:

Laços de Família

O Ministério Público e a Vara da Infância e Juventude viraram uma pedra no sapato de Manoel Carlos. O autor foi forçado a modificar às pressas os capítulos de Laços de Família (2000), porque as autoridades entenderam que a novela tinha cenas muito picantes para que crianças estivessem no elenco.

Veja também – Ator de O Clone chocou o Brasil ao morrer em trágico acidente de carro

Camila e Helena na novela Laços de Família - Foto: Reprodução
Camila e Helena na novela Laços de Família (Foto: Reprodução)

Portanto, todos os menores de idade foram obrigados a saírem de cena e a situação virou notícia no Jornal Nacional. A Globo confrontou as autoridades e não concordou com o impedimento. O enfrentamento deu certo e, após recorrer contra o caso, conseguiu reverter a decisão.

O Sétimo Guardião

Famoso por sua escola de roteiristas, Aguinaldo Silva se viu encurralado por um grupo de ex-alunos do autor alegando serem os reais autores da novela. No meio da guerra, estava a Globo e o jogo de cintura foi evidente porque todo o climão aconteceu enquanto a novela ainda estava no ar (e com péssima audiência, diga-se de passagem).

Veja também – Saiba quais novelas a Globo teve que pedir ajuda ao povo para tentar reverter fracassos

O autor Aguinaldo Silva teve sua saída da Globo decretada - Foto: Reprodução
Aguinaldo Silva lançou O Sétimo Guardião (Foto: Divulgação)

Foram cerca de 25 pessoas que fizeram esta contestação sobre O Sétimo Guardião. Para evitar maiores constrangimentos, a Globo resolveu colocar todos os nomes nos créditos da novela, os intitulando como coautores.

A Força do Querer

Retratando a história real de Bibi Perigosa, a Globo teve que justificar nos tribunais o valor da remuneração para a mulher que serviu de inspiração a Glória Perez. Bibi discordou dos direitos pagos a ela, que tentou impedir a reprise de A Força do Querer durante a pandemia na faixa das nove. A Globo levou a melhor e Fabiana Escobar, a Bibi Perigosa, teve de se contentar com os valores que recebia.

Veja também – Confira quais foram as novelas que a Globo teve mais problemas com a Justiça

Em A Força do Querer, Bibi ficará cara a cara com Fabiana Escobar (Foto: Reprodução)
Fabiana Escobar e Bibi, personagem vivida por Juliana Paes (Foto: Reprodução)

A Lua Me Disse

Até hoje, a Globo tenta apagar a existência de A Lua Me Disse (2005) por conta da quantidade de controvérsias. A novela foi alvo de ação judicial impetrada pelo Ministério Público, onde entendeu que haviam estereótipos racistas sobre a comunidade indígena.

Veja também – Sem emprego na TV, veja quais ex-atores da Globo viraram motoristas de aplicativo

Atriz indígena interpretava personagem que sofria racismo em A Lua Me Disse (Foto: Divulgação)

A personagem Índia, interpretada pela atriz Bumba, era vítima de constrangimentos que, segundo o MP, reforçavam um estereótipo negativo sobre a comunidade. Além disto, as personagens Latoya (Zezeh Barbosa) e Whitney (Mary Sheila) foram detonadas pela comunidade negra, porque ambas interpretavam negras que não aceitavam sua própria cor.

Segundo Sol

Criada para tentar trazer as atenções dos baianos para a Globo, Segundo Sol fez o efeito inverso. O problema principal estava no fato de que a novela era sobre um estado brasileiro com predominância negra, mas que a maioria do elenco era branco.

Luzia e Beto em cena de Segundo Sol (Foto: Divulgação)
Maioria do elenco de Segundo Sol era branco, mesmo com a novela retratando um Estado de maioria negra (Foto: Divulgação)

O Ministério Público entrou em ação, procurando justificativas sobre o fato controverso gerado pela emissora e, ainda, recomendando as formas em que a Globo deveria promover representatividade racial em suas produções.

 

Siga o Resumo das Novelas On nas redes sociais:

@resumodasnovelason

@resumodasnovelas.online

@resumonovelason

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *