Conheça quatro fatos polêmicos sobre os bastidores de O Cravo e a Rosa, a nova reprise das tardes da Globo

Logomarca de O Cravo e a Rosa (Foto: Divulgação)

Uma das experiências mais bem afortunadas que a Globo já teve na faixa das seis, O Cravo e a Rosa (2000) tem um bom histórico na emissora. Tanto é que, por conta disso, estreará uma mudança drástica na programação.

Veja também – Os pesadelos de Walcyr Carrasco: Entenda por que Camila Queiroz, Marina Ruy Barbosa e Taís Araújo são as maiores inimigas do autor

A emissora carioca quebrará mais uma vez a organização tradicional de sua grade de programação e tentará reverter os déficits de audiência que vem tendo em diversas praças.

Em São Paulo, por exemplo, há anos a Record vem se consolidando na liderança, mais especificamente por volta do horário do almoço. A chegada desta nova faixa de reprises tenta fortalecer a audiência e O Cravo e a Rosa pode causar uma briga das grandes.

Veja também – Cinco novelas brasileiras que ganharam remake mexicano

Nos bastidores desta novela, houveram alguns burburinhos que não são muito comentados ou que alguns não estão lembrados. Fomos nos arquivos e listamos estas polêmicas por trás das câmeras. Confira:

Inspiração ou plágio?

A frase famosa de Chacrinha virou a regra na TV brasileira. Nada se cria, tudo se copia. Walcyr costumeiramente faz isto em suas novelas, sob o argumento de se “inspirar”. Com O Cravo e a Rosa não foi diferente e a novela foi cheia de inspirações. Até mesmo o nome dos personagens chegam a ser os mesmos. Em meio a estas inspirações, a que mais se assemelha é a novela O Machão, exibida pela Tupi em 1975.

Walcyr Carrasco é o autor de O Cravo e a Rosa (Foto: Reprodução)

Para exemplificar, a protagonista de O Cravo e a Rosa chega a ter o mesmo nome que a personagem principal da novela do passado. Questionado sobre o assunto na coletiva de imprensa da trama, Walcyr tentou se justificar: “Eu atualizei o cerne da novela, colocando uma Catarina mais simpática em seus ideais, com os quais muitas telespectadoras vão se identificar”.

Eduardo Moscovis não queria ser protagonista

Durante uma entrevista em 2010, o ator Eduardo Moscovis revelou que ficou um pouco resistente antes de aceitar o convite para viver o Petruchio, personagem que protagoniza a novela junto com Catarina (Adriana Esteves).

Veja também – Alma Gêmea volta ao ar em janeiro: Novela de Walcyr Carrasco foi parar na Justiça por diversas acusações de plágio

Ele tinha certeza que Petruchio era muito parecido com o taxista Carlão, de Pecado Capital que ele tinha feito anteriormente a O Cravo e a Rosa. Foi o diretor Walter Avancini que o convenceu a ficar com o papel.

Diretor morreu após a novela

O final dos anos 90 foi um turbilhão de emoções para Walter Avancini. Grande diretor da teledramaturgia, ele era um dos maiores nomes da Manchete e viu todo aquele legado ser destruído com a falência da emissora que foi sua segunda casa por muitos anos. Também neste período, ele descobriu um câncer de próstata.

O Cravo e a Rosa foi a última novela que Walter Avancini concluiu (Foto: Divulgação)

O diretor não desistiu em momento nenhum de viver e seguiu com os tratamentos, mesmo diante das complicações de saúde. Avancini retornou para a Globo em 2000 e, junto com ele, veio Walcyr Carrasco. O Cravo e a Rosa foi a última novela que o diretor conseguiu concluir. No mesmo ano do fim da trama das seis, ele iniciou os trabalhos de outra para o mesmo horário: A Padroeira. Três meses depois do início da novela, ele faleceu.

Romance que virou boataria

Nas capas dos jornais sobre celebridade e, numa época ainda conservadora e tradicional, um romance entre dois atores da novela O Cravo e a Rosa rendeu muitas fofocas. Era o caso de Carlos Vereza e Rejane Arruda.

Veja também – Ferida reaberta: Saiba o por que Gloria Perez resolveu falar pela primeira vez sobre o assassinato da filha

A diferença de idade entre Vereza e Arruda é de 32 anos e, quando a novela estava no ar, ele tinha 60 anos e ela, 26. Eles, respectivamente, interpretam Joaquim e Maria Quitéria.

Arruda, que é irmã de Carolina Kasting, comentou sobre o romance em declaração dada para a revista IstoÉ em 07 de julho de 2000. “Quando o amor bate, não existe nenhuma preocupação com idade, cor ou sexo”, disse Rejane. Atualmente, os dois não estão mais juntos.

Siga o Resumo das Novelas On nas redes sociais:

@resumodasnovelason

@resumodasnovelas.online

@resumonovelason

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *