O Outro Lado do Paraíso: Renato procura casa de Juvenal para ser cativeiro de Tomaz - Resumo das Novelas

O Outro Lado do Paraíso: Renato procura casa de Juvenal para ser cativeiro de Tomaz

Fabiana e Renato na casa de Juvenal, em “O outro lado do paraíso” Foto: Raquel Cunha/Rede Globo/Divulgação

Renato (Rafael Cardoso) vai aprontar nos últimos capítulos de O Outro Lado do Paraíso. É que o vilão leva Fabiana (Fernanda Rodrigues) a casa de Juvenal (Anderson Di Rizzi) para comprar uma esmeralda para ela, mas ele quer mesmo é saber  se a vizinhança é tranquila para sequestrar Tomaz (Vitor Figueiredo) e colocá-lo la e se vingar de Clara (Bianca Bin).

Interessado em saber tudo sobre o local, Juvenal responde: “A família do lado se mudou faz um mês. Aqui de noite é um silêncio. E de dia também. Eu é que faço barulho pra lapidar”, diz ele, sem nem desconfiar das verdadeiras intenções de Renato.

+Resumo da reta final dos próximos capítulos de O Outro Lado do Paraíso

Depois que Fabiana escolhe a pedra para fazer um anel, o médico conta a ela que a visita a Juvenal tinha uma outra razão. “Isso faz parte do plano. Eu queria ver a casa do lapidador”, fala ele. Fabiana pede mais detalhes, mas ele desconversa: “Na hora certa, você vai saber”.

RENATO SEQUESTRA TOMAZ, PEDE DINHEIRO E AMEAÇA ESFAQUEAR O GAROTO

Renato (Rafael Cardoso) vai causar rebuliço nos capítulos finais de O Outro Lado do Paraíso. Isso porque o vilão vai raptar Tomaz  (Vitor Figueiredo) com o intuito de receber uma boa grana das mãos de Clara (Bianca Bin). Para isso, ele vai pedir 100 milhões de dólares para libertar o menino.

Na ocasião, Clara, bastante desesperada, vai tentar de tudo para conseguir o dinheiro pedido pelo rapaz, que ameaçar cortar a orelha da criança. O capanga e Fabiana usam a casa de Juvenal (Anderson Di Rizzi) como cativeiro e fazem o lapidador de refém.

Na casa de Clara, Patrick (Thiago Fragoso), Gael (Sérgio Guize) e Lívia (Grazi Massafera) vão se reunir para pensar numa forma de arrumar a quantia no prazo determinado. “Melhor ficar entre nós. Se a notícia se espalha, sai no jornal. Isso só prejudicaria as negociações”, diz o advogado. “Até a Janete (Daniela Fontan) eu dispensei”, avisa Clara. “Fez bem, porque ela é uma fofoqueira”, ressalta Patrick.

Gael, pai de Tomaz, fica preocupado. “O Patrick tá direto no computador”, diz Lívia. “Eu reservei lingotes de ouro. Mas não atingi nem um décimo da quantia pedida”, preocupa-se.

“Eu mesmo já comprei ouro com a minha mãe. Não entendo a dificuldade”, questiona Gael. “A dificuldade é a que eu disse desde o começo. O pedido dele é uma enormidade”, diz o advogado.

“É a quantia que ele e a Fabiana sempre tiveram na cabeça, desde o primeiro dia que me procuraram. Cem milhões de dólares. Patrick, daqui a pouco vou ter que ligar. Eu não sei o que dizer ao Renato”, diz Clara, nervosa.

Sem saber o que fazer, Patrick vai pedir a Clara para tentar convencer Renato a prorrogar o prazo. “Eu não admito essa hipótese. Eu não quero que meu filho fique na mão daquele homem. O Renato está fora de si. Eu não sei que atitude pode tomar”, alerta a mocinha.

“Veja se ele aceita esmeraldas. A gente tem muita”, sugere Lívia. “Não diz bobagem, Lívia. As esmeraldas foram sendo vendidas ao longo do tempo, depois de lapidadas. Tá certo que a gente tem muita esmeralda, mas perto do que ele pediu, não dá nem pro começo”, avisa Gael.

No cativeiro, Renato faz Juvenal agir como se nada tivesse acontecido. “Se terminou, vamos pro quarto. Vou te deixar preso pra passar a noite”, diz o vilão. “Pode me amarrar, amordaçar. Mas libera o garoto. Tá sendo difícil pra ele ficar preso o tempo todo”, pede o lapidador.

“É preciso amarrar. O moleque pode tentar fugir”, responde Renato. “Aqui não é nenhum spa para se sentirem confortáveis”, dirá Fabiana. Com as coisas correndo como planejou, Renato vai dizer que arrumou o lugar ideal para esconder sua vítima, já que Juvenal faz tudo que ele manda temendo pela vida de Tomaz.

O problema é que Renato vai começar a ficar impaciente com a demora de Clara em arrumar o valor pedido pelo resgate. “A Clara já devia ter ligado”, reclama. “Também acho que está demorando demais”, concorda Fabiana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *